quinta-feira, 29 de outubro de 2009

GRAMSCI E os trabalhadores da grande mídia comercial?






GRAMSCI
E os trabalhadores da grande mídia comercial?

Heitor Reis (*)


"É uma escolha cheia de insídias e de perigos que deveria ser feita com consciência, com critério e depois de amadurecida reflexão. Antes de mais, o operário deve negar decididamente qualquer solidariedade com o jornal burguês. Deveria recorda-se sempre, sempre, sempre, que o jornal burguês (qualquer que seja sua cor) é um instrumento de luta movido por idéias e interesses que estão em contraste com os seus. Tudo o que se publica é constantemente influenciado por uma idéia: servir à classe dominante, o que se traduz sem dúvida num fato: combater a classe trabalhadora." (Gramsci, na íntegra, ao final)


Por que não devemos nos perguntar sobre os operários da grande mídia comercial?

Por que não avançar além de Antonio Gramsci?

Não são os jornalistas (diplomados ou não) soldados mercenários de nossos inimigos de classe?

Então, onde se encontra a ética e a qualidade da informação oriunda do diploma universitário, defendida ardentemente pela Fenaj - Federação Nacional de Jornalistas como a panacéia para este problema, que sempre existiu, mesmo na vigência ditatorial, por décadas, de sua obrigatoriedade?

Não têm eles suas mentes, sangue, suor e lágrimas vendidas para o Grande Satã que oprime a classe trabalhadora em geral? Quando não seu espírito, para quem é de espírito...

Ou eles seriam apenas pobres e infelizes trabalhadores, que, como todos os demais, estão escravizados nas mãos do grande capital, sendo lhes perdoado o fato de faturar em cima da manipulação da informação para enganar os demais? (Ver Perseu Abramo, Altamiro Borges e outros)

Alguma vez a Fenaj já denunciou, nestes termos, o fato de seus profissionais serem vítimas da pressão do patrão e serem obrigados a enganar o público cotidianamente, nas grandes empresas de comunicação? Ou Perseu Abramo estava mentindo? Caso positivo, não deixe de me informar... Dedicarei o melhor de minhas energias para divulgá-lo.

Reflita sobre isto...

Permita-me repetir:

"É uma escolha cheia de insídias e de perigos que deveria ser feita com consciência, com critério e depois de amadurecida reflexão."

Mais detalhes em:
A sociedade quer informação com ética e qualidade? http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=529DAC001
Diploma impede o empresário de dominar sobre a consciência do jornalista: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=504DAC007
Liberdade de imprensa para quem?: http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=491FDS008





(*) Heitor Reis é um subversivo, indivíduo perigoso do ponto de vista dos milicos, de Gilmar Mendes e de qualquer um que esteja satisfeito com o atual sistema político, econômico e social. Engenheiro civil, militante do movimento pela democratização da comunicação e em defesa dos Direitos Humanos, membro do Conselho Consultor da CMQV - Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida (www.cmqv.org) e articulista. Artigos no Observatório da Imprensa: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/lista_autor.asp?cod=532JDB002&a_ano=2009&a_mes=10
Nenhum direito autoral reservado: Esquerdos autorais ("Copyleft"). Contatos: (31) 9208 2261- heitorreis@gmail.com