terça-feira, 8 de junho de 2010

O PAPEL DA ESCOLA E A EDUCAÇÃO FÍSICA: Celi Zulke Taffarel - UFBA

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS
SECRETARIA ESTADUAL DE ESPORTE E EDUCAÇÃO
FORUM DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE DA REDE PÚBLICA DO ESTADO DE ALAGOAS: SUPERANDO DESAFIOS.

Por: Celi Zulke Taffarel – UFBA.
09 de junho de 2010.

RESUMO
O presente resumo apresenta o conteúdo básico e as referências bibliográficas, da conferência de abertura do FÓRUM DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE DA REDE PÚBLICA DO ESTADO DE ALAGOAS. Parte de dados da realidade – Diagnóstico - da educação escolar no Brasil, considerando dados oficiais do Governo Federal e do Governo Estadual de Alagoas e, dentro dela, dados sobre a Educação Física e Esporte, em especial no que diz respeito as políticas de Governo – Plano Decenal de Esporte e Ministério de Assuntos Estratégicos, Plano Brasil 2022. Problematiza a educação física, identificando o que a desqualifica enquanto conteúdo de ensino na escola, bem como, as necessidades e possibilidades da escola e dentro dela, a necessidade e a possibilidade da educação física, a partir da concepção de formação humana, determinada pelas condições concretas da existência – o modo de produção da vida capitalista e sua superação – e, da cultura corporal como objeto da educação física no currículo escolar. Instrumentaliza, apresentando argumentos sobre a disputa de projetos, que pode ser reconhecida na direção epistemológica, pedagógica e política da educação e da educação física no Brasil, a partir do trabalho pedagógico, da formação de professores, da produção do conhecimento e, da política pública (de Estado e de Governos) que consolidam determinados projetos históricos, hegemonicamente, o projeto histórico capitalista e, contra-hegemonicamente, o projeto para além do capital. Apresenta argumentos sobre a necessidade da classe trabalhadora, pela escola integral, do seu papel na aprendizagem e desenvolvimento humano e, dentro dela da educação física escolar, juntamente com as ciências e tecnologia, humanidades e artes, baseada na teoria do conhecimento dialética, materialista histórica, na teoria histórico cultural, na pedagogia histórico-critica e, na metodologia do ensino da educação física critica superadora. Expõe exemplos de trabalhos pedagógicos, de projetos da área da educação física que estão contribuindo para questionar as referências curriculares e, para alterar a cultura pedagógica da escola, bem como, alterar - por antíteseluta dos contrários -, os rumos da produção do conhecimento e da política pública, segundo interesses da classe trabalhadora. Conclui com uma síntese do que representa hoje o mais avançado na educação escolarizada e na educação física (papel da escola e da educação física), considerando proposições teóricas superadoras. Dentro disto destacam-se os pares dialéticos objetivos-avaliação, o trato com o conhecimento da cultura corporal – o sistema de complexos - no projeto político pedagógico da escola, os espaços e tempos pedagógicos, as relações estudante, professor, comunidade, visando aprendizagens e o desenvolvimento da formação omnilateral, ou seja, a formação humana integral.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ADAM,Y. et al. Desporto e desenvolvimento humano. Portugal. Seara Nova, 1977.
CALDART, R. Educação em Movimento. Petrópolis: Vozes, 1997.
______. Pedagogia do MST. São Paulo: Expressão Popular, 2005.
COLAVOLPE, C. R; SANTOS JÚNIOR. C. TAFFAREL, C. Trabalho pedagógico e formação de professores/ Militantes Culturais. Salvador/BA: EDUFBA, 2009.
COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de Educação Física. SP. Cortez Autores Associados. 1992.
DAVYDOV, V.V. Tipos de generalización en la enseñanza. Cuba: Pueblo y Educación, 1982.
ELKONIN, D. Psicologia do Jogo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
ENGELS, Friederich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. In: MARX, Karl & ENGELS, Friederich. Obras escolhidas. São Paulo: Alfa-Omega, [s. d.] v. 3.
ENGUITA, Mariano. A face oculta da escola. Educação e trabalho no capitalismo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.
ESCOBAR, Micheli Ortega. (Coord.) Contribuição ao debate do currículo em educação física: uma proposta para a escola pública. Recife: Secretaria de Educação e Cultura do Estado de Pernambuco, 1989.
ESCOBAR, M. O. e TAFFAREL, C. Z. O trato com o conhecimento científico e a organização do processo de trabalho pedagógico no ensino de Educação Física. In: CONGRESSO SOBRE A UFPE, 1, Anais. V. Recife: Reproart, 1992.
FREITAS, Luiz Carlos. Projeto Histórico: ciência pedagógica e "didática". Educação e Sociedade. nº 27, p. 122-140, 1987.
____________________. Formação do professor para o amanhã: transformação ou modernização? In: Seminário "A Formação do professor Catarinense para o amanhã". Florianópolis, 1991.
____________________. Organização do trabalho pedagógico. Revista de Estudos. Rio Grande do Sul, v. 14, nº 1, p. 10-18, 1991.
____________________. Crítica da Organização do Trabalho Pedagógico e da Didática. Campinas. SP. Papirus, 1995
GHIRALDELLI JR, P. Notas para uma teoria dos conteúdos da Educação Física. RJ. In: Reunião SBPC, 43, Rio de Janeiro: SBPC, 1991.
_________________. Educação Física Progressista: A Pedagogia crítico-social dos conteúdos e a Educação Física brasileira. SP. Loyola, 1988.
GERMINAL. Boletins. MHTLE. ISSN 1982-9787.
GOELLNER, Silvana V. O método francês e a Educação Física no Brasil: da caserna à escola. Porto Alegre: Escola Superior de Educação Física, UFRGS, 1992. (Dissertação de mestrado).
GOELLNER. Silvana. A categoria atividade e suas implicações no desenvolvimento humano. In: Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Volume 13 – Número 2, janeiro/ 1992. pp 288-292.
GRUPO DE TRABALHO PEDAGÓGICO UFPE-UFSM. Visão didática da Educação Física: análises críticas e exemplos práticos de aulas. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1991.
HILDEBRANDT-STRAMANN, R. e LAGING, R. Concepções abertas no ensino da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986.
HILDEBRANDT-STRAMANN, R. Textos pedagógicos sobre o ensino da Educação Física. 2ed. Ijuí: Unijuí, 2003.
KOPNIN, P.V. A dialética como lógica e teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.
KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.
LANGLADE, A. y LANGLADE. N. R. Teoria general de la gimnásia. Buenos Aires: Stadium, 1970.
LEONTIEV, Alexei N. La actividad en la psicología. Habana: Pueblo y Educación, 1979.
__________________. Actividad, Conciencia, Personalidad. Habana: Editorial Pueblo y Educación, 1981.
LEONTIEV, A. LURIA, A. R. VYGOTSKY, L. S. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Icone/USP, 1988.
MARX, Karl & ENGELS, Friederich. A ideologia Alemã. São Paulo: Hucitec, 1987. MEDINA, João P. S. A Educação Física cuida do corpo ... e "mente". Campinas: Papirus, 1983.
MÉSZÁROS, I. Marx: a teoria da alienação. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.
MARX, K. e ENGELS; F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). São Paulo: Boitempo, 2007.
MARTINS, Ligia. ABRANTES, A. Relação entre conteúdo de ensino e processo de pensamento. In: PINHO, S. Z. (Org.) Oficina de estudos Pedagógicos. UNESP, 2008.
MARTINS, Ligia. Pedagogia Histórico-critica e Psicologia Histórico cutlural. Anais do Evento “30 anos da pedagogia histórico-crítica”, UNESP-Araraquara, dezembro de 2009.
MINISTERIO DO ESPORTE. Documentos da Terceira Conferência Nacional do Esporte. 05 de maio de 2010. Por um time chamado Brasil. Plano Decenal de esporte e Lazer. 2010.
MINISTÉRIO DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS. Plano Brasil 2022. Brasília, 2010.
MORISSAWA, M. A história da luta pela terra e o MST. São Paulo: Expressão Popular, 2001.
MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. A luta por reforma agrária e por mudanças sociais no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2005.
MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Educação no MST: balanço 20 anos. São Paulo: Secretaria Nacional, 2004.
MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Caderno de formação nº 8. São Paulo: Secretaria Nacional, s.d.
PETRAS, James. Os intelectuais em retirada. In: Debate - Ano II Nº 59. Maio 1994.
PISTRAK. Fundamentos da escola do trabalho. São Paulo: Brasiliense, 1981.
PISTRAK. A Escola Comuna. São Paulo, Expressão Popular 2009.
ROYER, Jacques. Pesquisas sobre o significado humano do desporto e dos tempos livres e problemas da história da Educação Física. In: ________. Desporto e desenvolvimento humano. Lisboa: Seara Nova, 1977
SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproxi­mações. São Paulo: Cortez, 1991.
·_________________. Marx, 110 anos: clássico e... dramaticamente atual. In: Princípios. Revista Teórica, Política e de informação. nº 29, p. 44-46, 1993.
SHARDAKOV, M. N. Desarrollo del pensamiento en el escolar. Habana: Libros para la Educación, 1978.
SNYDERS, Georges. Escola, classe e luta de classes. São Paulo: Moraes Editores, 1977.
SIQUEIRA, Juliano. Fundamentos para uma Política Cultural. Princípios, nº 25, p. 61-65, maio-jul/1992.
SOBRAL, F. A. da F. A produção e a apropriação social da pesquisa científica e tecnológica: uma discussão no capitalismo dependente. In: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 67, nº 156, p. 287-305, mai/ago /1986.
STIGGER, M. e LOVISOLO, H. Esporte de Rendimento e esporte na Escola. São Paulo: Autores Associados, 2009.
SUCHODOLSKI, Bogdan. Fundamentos de pedagogia socialista. Barce­lona: Laia, 1974.
_____________________. A Pedagogia e as Grandes Correntes Filosóficas. Lisboa: Livros Horizonte, 1984.
TAFFAREL, C. N. Z.. Perspectivas Pedagógicas em Educação Física. In: GUEDES, O. C. (org.). Atividade Física: uma abordagem multidimensional. João Pessoa: Idéia, 1997, p. 106-130.
______. Desporto Educacional: realidade e possibilidades das políticas governamentais e das práticas pedagógicas nas escolas públicas. Brasília 22 a 23 de novembro de 2000. 1º Conferência Nacional de Educação Cultura e Desporto.
______. Criatividade nas aulas de Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1985.
TAFFAREL, C. N. Z. e ESCOBAR, M. O. Cultura corporal e os dualismos necessários à ordem do capital. Salvador, 2005. Disponível em: www.faced.ufba.br/rascunhodigital Acessado em: 2 de maio de 2010.
VERÍSSIMO, L. F. Futebol de rua. In: Para gostar de ler - volume 7 - crônicas. 13. ed. São Paulo: Ática, 1997.
VYGOTSKY, L. S., LURIA, A. R., e LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Tradução: Maria de Penha Villalobos. 6ª ed. São Paulo: Ícone: Editora da Universidade de São Paulo. 1998.
VYGOSTKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: M. Fontes, 1988.