quinta-feira, 29 de julho de 2010

... Economia solidária ...

Farmanguinhos desenvolve projeto Economia Solidária na Cidade de Deus


O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz), reconhecido por sua excelência em saúde e inovação tecnológica, tem atuado de maneira cada vez mais firme no desenvolvimento sócioeconômico e ambiental de comunidades carentes do Rio de Janeiro. O Instituto criou o projeto Feira do Talento, um programa social com o objetivo de estimular a economia na Cidade de Deus. A próxima edição será neste sábado (17/7), das 14h às 21h, no supermercado Prezunic da Cidade de Deus (Estrada Marechal Miguel Salazar Mendes de Morais 906). A Feira do Talento foi criada há quatro anos e funciona como uma vitrine para exposição e venda de trabalhos artesanais de moradores da comunidade. A feirinha cresceu e o que acontecia no pátio do Complexo Tecnológico de Medicamentos de Farmanguinhos duas vezes ao ano, agora percorre várias regiões da cidade.


 Artesãs que participam do projeto na Cidade de Deus
Artesãs que participam do projeto na Cidade de Deus

Um dos beneficiados pelo projeto é a cooperativa Mulheres Eco-artesãs. O grupo produz bolsas e acessórios feitos com materiais recicláveis e vende na feira. Além de disponibilizar o espaço, Farmanguinhos agora associa sua marca à cooperativa. O empreendimento é uma forma de suprir a carência da comunidade e apoiar estratégias de geração de trabalho e renda para a população local. Uma consequência é a inibição de doenças decorrentes da pobreza.
Cada acessório das Mulheres Eco-artesãs terá uma etiqueta com a marca Farmanguinhos. A partir de agora, aqueles que comprarem os objetos, vão adquirir um produto com este selo de qualidade. Além disso, contribuirão para o desenvolvimento sócioeconômico local. A cooperativa pretende ampliar o mercado com produtos de baixo custo e qualidade garantida.
Outra vantagem é a contribuição para o meio ambiente, pois para confeccionar uma bolsa, por exemplo, são retiradas 32 garrafas pet das ruas. O que antes ia para o lixo, agora é transformado em arte e vira objeto de luxo. Segundo a coordenadora do projeto no Instituto, Magali Chuquer, o objetivo é desenvolver estratégias para a construção de uma sociedade mais justa. “O enfoque é atuar em comunidades, valorizando o trabalho artesanal com preservação do meio ambiente, que hoje é uma necessidade vital”, ressalta.
Publicado em 16/7/2010.