sábado, 12 de março de 2011

... Economia aumenta a produção da fome

A desordem financeira global e a ameaça da fome

Um elemento agravante começou a aparecer no horizonte no segundo semestre de 2010: a tendência de alta nos preços dos alimentos. Segundo a ONU, 75 milhões de pessoas se tornaram mal nutridas em função desse aumento de preços. Os preços da comida subiram até 10% no último ano no Reino Unido e na Europa. Ainda segundo as Nações Unidas, esses preços poderão subir 40% na próxima década. Nos últimos anos, diversos economistas e autoridades têm alertado que os mesmos bancos, fundos de investimento e especuladores que causaram a crise das hipotecas sub prime são os responsáveis pela inflação no preço dos alimentos.

No início da segunda década do século XXI, o mundo parece estar numa encruzilhada. A confluência de diferentes crises nas esferas econômica, energética, ambiental, política e social começa a configurar um daqueles períodos históricos repletos de tensões, contradições e possibilidades. Os acontecimentos parecem adquirir maior velocidade e muitas vezes nos pegam de surpresa. Quem diria, há um ano, que neste início de 2011 estaríamos assistindo a revoltas populares em importantes países do Oriente Médio e do norte da África? Os acontecimentos na Tunísia, Egito e Líbia, apenas para citar três casos, mostram que a história não só não terminou como parece ter se acelerado nos últimos anos. E não se trata apenas de um aumento de velocidade, mas, sobretudo, de uma articulação cada vez maior entre tais eventos e processos.