quarta-feira, 31 de outubro de 2012

IX Encontro Científico e Cultural - Eseffego/UEG

Prazo para envio de trabalhos dia 05 de novembro. 

Mais informações: clique na imagem e acesse o site.


www.ecce.ueg.br


Seminário Interestadual de Direito Sanitário - MP/GO

www.mp.go.gov.br

"O evento tem como objetivo discutir temas relevantes do direito a saúde buscando sua efetividade com eficiência e democracia, bem como promover o encontro dos diversos atores envolvidos na efetivação do direito a saúde no estado de Goiás e região Centro-Oeste; apresentar panorama atual do acesso aos bens e serviços de saúde no estado; compreender os processos de incorporação de novas tecnologias ao sistema de saúde e seus mecanismos de responsabilização e participação social e discutir a gestão da assistência farmacêutica no sistema público de saúde e suas implicações no acesso aos medicamentos".

INSCRIÇÕES: CLIQUE NO FOLDER

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Revista Digital - Lecturas: Educación Física y Deportes

Um lugar para publicar seus trabalhos e artigos.

Lecturas: Educación Física y Deportes

Revista Digital - ISSN 1514-3465


http://www.efdeportes.com

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Processo Seletivo na ESEFFEGO


A UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS, por meio do Diretor da Unidade Universitária de Goiânia/Eseffego, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que constam nos processos mencionados no referido Anexo 02, torna pública a abertura do Processo Seletivo Simplificado, tendo em vista o atendimento de necessidade temporária de excepcional interesse público da Universidade Estadual de Goiás, para fins de seleção de pessoal e formação de cadastro de reserva, destinado à contratação por tempo determinado, na forma de Lei Estadual n. 13.664, de 27 de julho de 2000 e demais instrumentos legais, e mediante as condições estabelecidas neste Edital. 


Cargo: Docente de Ensino Superior:
Área de Conhecimento: Ciências da Saúde
Cursos: Educação Física e Fisioterapia 01
Disciplinas: 
-Psicologia do Desenvolvimento Humano aplicado a Educação Fisica (4 hs)
-Psicologia aplicada a relação terapeuta paciente (2 hs)

Carga horária total: 6 hs
Titulação Mínima: Especialista



Período de inscrição e entrega da documentação e currículo comprovado

Inscrições 29/10 a 01/11/12 (QUINTA) 09 hs às 17 hs 

Endereço: Av. Anhanguera n° 3.228. Setor Vila Nova, CEP: 74643-010 – Secretaria da ESEFFEGO


Anatomia on-line - Free

Vale muito a pena o clique e uma boa navegação.

Este site sobre anatomia humana onde você pode ver todos os sistemas em detalhes em 3D.

e se você clicar sobre alguma coisa ele mostra as doenças que podem afetar esse orgão gostei muito quem se

Interessados ou curiosos  BioDigitalHuman

domingo, 28 de outubro de 2012

Performance Musical, hoje as 19h30min, CENTRO CULTURAL DA UFG


CONVITE
  
37º FESTIVAL DE MÚSICA
Escola de Música e Artes Cênicas da UFG
PERFORMANCE MUSICAL: CONCEPÇÃO, CRIAÇÃO, REALIZAÇÃO E ENSINO.

  
É com prazer que convidamos a todos para a Abertura do 37º FESTIVAL DE MÚSICA DA EMAC/UFG, a realizar-se no dia 28 de outubro de 2012, Domingo, às 19h30min,
no CENTRO CULTURAL DA UFG, Praça Universitária.


Antes da Abertura, às 17h: 30min teremos a Palestra:

O CÉREBRO DE MOZART E O CÉREBRO DE EINSTEIN: O QUE ELES TINHAM QUE EU NÃO TENHO?
Dr. Roberto Lent (UFRJ).


E às 20h: 00min teremos o RECITAL VILLANI CORTEZcompositor homenageado no evento.

Contamos com a sua presença.

Ana Guiomar Rêgo Souza
Sônia Ray
Coordenadoras do 37º Festival de Música da UFG

sábado, 27 de outubro de 2012

Seleção de Orientadores e Tutores EAD/FEF/UFG


Edital nº 10/2012

Estabelece normas do Processo Seletivo para formação de cadastro de reserva de Tutores de Polo e Orientadores Acadêmicos para o Curso de Licenciatura em Educação Física na modalidade a distância.



Acesse o edital AQUI

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Cultura, Dança e Arte para semana que vem...


Carta dos Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay


Carta da comunidade Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay-Iguatemi-MS para o Governo e Justiça do Brasil


Nós (50 homens, 50 mulheres e 70 crianças) comunidades Guarani-Kaiowá originárias de tekoha Pyelito kue/Mbrakay, viemos através desta carta apresentar a nossa situação histórica e decisão definitiva diante de da ordem de despacho expressado pela Justiça Federal de Navirai-MS, conforme o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, do dia 29 de setembro de 2012. Recebemos a informação de que nossa comunidade logo será atacada, violentada e expulsa da margem do rio pela própria Justiça Federal, de Navirai-MS.



Assim, fica evidente para nós, que a própria ação da Justiça Federal gera e aumenta as violências contra as nossas vidas, ignorando os nossos direitos de sobreviver à margem do rio Hovy e próximo de nosso território tradicional Pyelito Kue/Mbarakay. Entendemos claramente que esta decisão da Justiça Federal de Navirai-MS é parte da ação de genocídio e extermínio histórico ao povo indígena, nativo e autóctone do Mato Grosso do Sul, isto é, a própria ação da Justiça Federal está violentando e exterminado e as nossas vidas. Queremos deixar evidente ao Governo e Justiça Federal que por fim, já perdemos a esperança de sobreviver dignamente e sem violência em nosso território antigo, não acreditamos mais na Justiça brasileira. A quem vamos denunciar as violências praticadas contra nossas vidas? Para qual Justiça do Brasil? Se a própria Justiça Federal está gerando e alimentando violências contra nós.  Nós já avaliamos a nossa situação atual e concluímos que vamos morrer todos mesmo em pouco tempo, não temos e nem teremos perspectiva de vida digna e justa tanto aqui na margem do rio quanto longe daqui. Estamos aqui acampados a 50 metros do rio Hovy onde já ocorreram quatro mortes, sendo duas por meio de suicídio e duas em decorrência de espancamento e tortura de pistoleiros das fazendas.



Moramos na margem do rio Hovy há mais de um ano e estamos sem nenhuma assistência, isolados, cercado de pistoleiros e resistimos até hoje. Comemos comida uma vez por dia. Passamos tudo isso para recuperar o nosso território antigo Pyleito Kue/Mbarakay. De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários os nossos avôs, avós, bisavôs e bisavós, ali estão os cemitérios de todos nossos antepassados.



Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser mortos e enterrados junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui.



Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação e extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para  jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais. Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal. Decretem a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e enterrem-nos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem mortos.



Sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo em ritmo acelerado. Sabemos que seremos expulsos daqui da margem do rio pela Justiça, porém não vamos sair da margem do rio. Como um povo nativo e indígena histórico, decidimos meramente em sermos mortos coletivamente aqui. Não temos outra opção esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS.

Atenciosamente, Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

3ras Jornadas de estudios sobre la infancia


3ras Jornadas de estudios sobre la infancia. Políticas públicas, saberes y vida cotidiana en Argentina y Latinoamérica (1880-2010)

Lugar y Fecha de realización: 1 y 2 de noviembre de 2012, Campus UNGS
Juan María Gutiérrez 1150- Los Polvorines - Bs. As-


Estas Jornadas se proponen constituir un espacio interdisciplinario para presentar y discutir distintos trabajos de investigación sobre la infancia en Argentina y Latinoamérica. En primer lugar, buscan valorizar un enfoque que reconozca el carácter histórico de la infancia con intenciones de otorgarle densidad a la comprensión de las problemáticas de la actualidad. En segundo lugar, propician un diálogo interdisciplinario que posibilite enriquecer los enfoques teóricos y metodológicos, e intercambiar experiencias y avances de investigación en una clave comparativa.

Programa de Trabajo

Jueves 1 de noviembre de 2012
10.00 a 10:30 hs. Acto de apertura
10:30 a 12.30 hs. Sesión de trabajo. Saberes expertos, tipologías institucionales y nociones de infancia: discursos y representaciones sobre los niños y niñas.
13:30 a 14:30 hs. Panel. Pensar la Infancia desde América Latina. Panelistas: Estela Scheinvar (UERJ-UFF/Brasil), Fernanda Bittencourt Ribeiro(PUC-RS/Brasil), Nara Milanich (Barnard College). Moderadora: Sandra Carli
14.30 a 16.00 hs. Sesión de trabajo. Vida cotidiana: prácticas culturales, infancia y familia.
16.00 a 17.00 hs. Presentación del libro Infancias: políticas y saberes en Argentina y Brasil, siglos XIX y XX (Cosse, LLobet, Villalta y Zapiola, eds., Editorial Teseo, Buenos Aires, 2011) a cargo de Patrice Schuch (UFRGS/Brasil).
17.00 a 18.00 hs. Conferencia: Lynne Haney – New York University

Viernes 2 de noviembre de 2012
9.30 a 12.00 hs. Sesión de trabajo. Estado, tribunales y justicia: interacciones e intervenciones con la infancia y las familias
12.00 a 13.30 hs. Taller de tesis
14.30 a 16.45 hs. Sesión de trabajo. Estado, instituciones y políticas: intervenciones e interacciones con la infancia y sus familias
17.00 a 18.00 hs. Conferencia de Clausura: Claudia Fonseca (UFRGS)

Informes e inscripción: jornadasinfancia2012@gmail.com
Se entregan certificados de asistencia

Coordinación
Isabella Cosse (Conicet/UBA), Lucía Lionetti (IEHS – UNCPBA), Valeria LLobet (UNSAM/Conicet),
Carla Villalta (UBA/Conicet), María Carolina Zapiola (UNGS).
Comisión Organizadora
Claudia Vargas (asistencia general)
Luciana Díaz (UNICEN), Soledad Viñas (UNGS), Florencia Gentile (UNGS), Soledad Gesteira (UBA), Gabriela Magistris (UNSAM), Marina Medan (UNSAM)
Auspician 
Sección de Antropología Social, Facultad de Filosofía y Letras, Universidad de Buenos Aires – Instituto de Ciencias-, Universidad Nacional de General Sarmiento – Instituto de Estudios Histórico  Sociales "Prof. Juan Carlos Grosso" , Universidad Nacional del Centro - Escuela de Humanidades, Universidad Nacional de San Martín –Programa de Historia, Universidad de San Andrés – Agencia Nacional de Promoción Científica y Tecnológica (ANPCyT).

Loucura ou vida de gado?

Sempre é tempo de reverter as decisões e deixar de seguir o fluxo da vida da maioria. 

Hoje você está pensando em quê mesmo? O mesmo que todo mundo

Pense diferente, pode até pensar em nada, mas pense por conta própria.




Diretor: Marcos Magalhães
Ano 1988
Ficha Técnica:
Fotografia: Marcos Magalhães, César Coelho, Aida Queirós
Roteiro: Marcos Magalhães
Trilha original: Duba Elia, Rosa Barroso, Mônica Leme, Christianne Rothier, Carlos Malta.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

GOLPE nos Hospitais Universitários: Privatização do SUS

Caro seguidor/leitor do blog,

Chamo a sua atenção para uma notícia que trata de um movimento seríssimo para a saúde pública no Brasil.

Trata-se da decisão que a Administração do Hospital das Clinicas da UFG deverá tomar, sobre passar a gestão do HC para uma empresa de direito privado, chamada EBSERH. É mais uma manobra neoliberal desse governo federal. Essa empresa foi criada em 2011 pela lei 12.550 e vinculada ao MEC, cujo objetivo seria administrar os "recursos humanos" e materiais dos Hospitais Universitários brasileiros.

Ocorre que há outros objetivos escondidos. 
Vivemos situação parecida na privatização das Unidades Hospitalares no Estado de Goiás. O governo de Marconi não investe no sistema e paga milhares e milhões de reais para que empresas privadas de gestão de recursos humanos e materiais assumam a administração como já aconteceu no HGG, HUAPA, etc.


Não sejamos ingênuos. Um dos maiores golpes está focado na forma como serão contratados os profissionais, pois será abolido o RJU (regime jurídico único) e adotar-se-ão a CLT e as regras do mercado privado de uma empresa qualquer.


No dia 18/10 houve um debate intenso no auditório da Faculdade de Medicina com presença de gestores da EBSERH, Movimento Estudantil, deputado Mauro Rubem, reitor Edward e outras pessoas interessadas e preocupadas com o assunto. Vejam a matéria completa sobre esse debate no link. 

Fiquemos atentos as manobras de privatização do SUS e a necessidade de realizar amplo debate na sociedade e órgãos de defesa do direito público.

Introdução à Ontologia de Lukács - Prof. Dr. Sérgio Lessa

O Grupo de Pesquisa e Formação Sociocrítica em Educação Física, Esporte e Lazer (AVANTE) com apoio do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade de Brasília, convida a todos para participar do curso "Introdução à Ontologia de Lukács: Aspectos Históricos e Ontológicos" que será ministrado pelo Prof. Dr. Sérgio Lessa (UFAL). O evento será realizado de 21 a 24 de novembro de 2012, no auditório da Faculdade de Educação Física da UnB.

Programação:

Dia 21 de n
ovembro de 2012 (quarta-feira)
20h às 22h - Conferência de abertura



Dia 22 de novembro de 2012 (quinta-feira)
14h às 18h



Dia 23 de novembro de 2012 (sexta-feira)
14h às 18h



Dia 24 de novembro de 2012 (sábado)
9h às 12h (Encerramento do curso)
14h às 17h (Roda de perguntas)



Melhores informações em http://avante.unb.br/

Inscrições AQUI


domingo, 21 de outubro de 2012

Um domingo de boas novas na Educação Física Brasileira


Sentença suspende restrições à atuação dos licenciados
Licenciados em educação física na Bahia e em SE
19/10/2012 - 13:09
(Foto: Arquivo Portal Infonet)
Com a decisão, os licenciados na área podem atuar tanto como professor em instituições de ensino, quanto em espaços de educação não-formal, a exemplo de academias de ginástica, clubes, espaços de lazer, de recreação e de práticas desportivas.
A 10ª Vara da Justiça Federal suspendeu qualquer ato que possa restringir o campo de atuação dos profissionais graduados em cursos de licenciatura em educação física no âmbito funcional do Conselho Regional de Educação Física da 13ª Região (Cref13/BA-SE). Com a decisão, os licenciados na área podem atuar tanto como professor em instituições de ensino, quanto em espaços de educação não-formal, a exemplo de academias de ginástica, clubes, espaços de lazer, de recreação e de práticas desportivas. A sentença confirma uma liminar, de fevereiro deste ano, e atende pedidos de uma ação civil pública proposta pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, do Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA).

Com a sentença, de 24 de setembro último, os Conselhos Federal e Regional de Educação Física não poderão mais emitir as carteiras com a indevida anotação “Atuação Educação Básica”, relativamente aos profissionais originários dos cursos de licenciatura em educação física. Além disso, terão de substituir as carteirinhas, já emitidas com essa anotação, de todos os beneficiários que solicitarem a alteração e sem nenhum custo. Os conselhos estão sujeitos também ao pagamento de multa de 500 reais em cada caso comprovado de descumprimento da decisão, e deverão divulgar a sentença em jornal de grande circulação, afixar aviso na sede do Cref13/BA-SE e nos respectivos endereços eletrônicos por, no mínimo, 60 dias.

A ação foi proposta por conta da restrição imposta pelo Cref13/BA-SE à atuação dos licenciados, limitando-a aos ambientes escolares. Além de não poder trabalhar em ambientes não acadêmicos, os profissionais ainda recebiam a carteirinha do conselho com a aposição da frase “Atuação Educação Básica” no anverso da carteira profissional. A prática do Cref13/BA-SE respaldava-se nas resoluções nº s 182/2009 e 112/2005 do Conselho Federal de Educação Física (Confef). De acordo com essas normas, as carteiras profissionais seriam expedidas em conformidade com a formação acadêmica do graduado, com a existência de um campo específico para distinguir a atuação profissional.

Lei não faz restrição

Para o MPF, as duas resoluções do Confef são ilegais e vão de encontro à Lei 9.696/98, que trata da inscrição dos profissionais de Educação Física nos respectivos Conselhos Regionais. A lei “não faz qualquer tipo de restrição quanto à natureza do curso de ensino superior (licenciatura ou bacharelado), exigindo apenas o diploma obtido em curso de Educação Física, oficialmente autorizado ou reconhecido”, afirma o MPF na ação ajuizada em dezembro do ano passado. Ainda de acordo com o órgão, não competem aos conselhos profissionais estabelecer limitações ao exercício profissional das respectivas categorias, e sim, verificar se existem ou não óbices legais ou administrativos para o desempenho da atividade reivindicada.

Na sentença, o Judiciário concordou com a argumentação do MPF ao entender que a Lei nº 9.696/98 não apresenta distinção entre os profissionais de educação física de cursos de licenciatura ou bacharelado, e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação apenas exige que os profissionais que exerçam a docência na educação básica sejam portadores de cursos de licenciatura. Para reforçar a tese, o Judiciário cita os artigos 5º, inciso XIII, e artigo 22, inciso XVI, da Constituição Federal, segundo os quais apenas lei em sentido formal poderia impor requisitos para o desempenho da atividade profissional, “não cabendo aos conselhos profissionais, em cerceio ao direito fundamental ao livre exercício da profissão, por meio de resolução ou quaisquer atos normativos infralegais, restringir a atuação dos educadores físicos licenciados aos ambientes escolares”, diz a decisão. O Confef e o Cref13/BA-SE ainda podem recorrer da decisão.
Número da ação para consulta processual: 44645-56.2011.4.01.3300/ 10ª Vara Federal


Fonte: Ascom MPF/BA

sábado, 20 de outubro de 2012

IV FESTIVAL DE GINÁSTICA PARA TODOS E DANÇA DO CENTRO-OESTE

Será realizado pela FEF/UFG, ESEFFEGO/UEG e pela Secretaria Estadual do CBCE nos dias 22 a 24 de Novembro.


Serão oferecidas várias oficinas:
- Ginástica Artística; Acrobática, Rítmica;
- Trampolim;
- Ginástica para Todos;
- Circo;
- Dança contemporânea, Dança Flamenca, Dança de Salão, Glam Dance, Consciência Corporal, e outras;


Também faz parte da programação palestras com as Profas. Dra. Eliana de Toledo (UNICAMP) e Dra. Andresa Ugaia (UNESP).

E ainda Apresentações de trabalhos científicos e atividades culturais de Ginástica e Dança, além de uma noite de gala (no Colégio Ateneu Dom Bosco).

Inscrição de trabalhos até dia 08 de Novembro.

Abertura na EMAC (Escola de Música e Artes Cênicas) dia 22 as 19 horas.

Informações e inscrições no site do evento:

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

SEMINÁRIO DA ANPAE REGIÃO CENTRO OESTE (GO, DF, MT E MS)


POLÍTICAS E GESTÃO DA EDUCAÇÃO NO CENTRO-OESTE DO BRASIL: PESQUISAS E PRÁTICAS

Data: 10 a 12 de dezembro de 2012

Local: Auditório da Faculdade de Educação – UFG

Submissão de trabalhos até 28/10/2012.

Mais Informações acesse o site:

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Concurso 02 Vagas na USP-Leste


Fisiologia e Biomecânica

Concurso para provimento de 1 (um) cargo(s) de Professor Doutor, referência MS-3, em RDIDP (Regime de Dedicação Integral à Docência e à Pesquisa), Biomecânica do Esporte e Modalidades Esportivas.
Período de inscrições: 15/10/ 2012 a 29/11/2012.
Edital de abertura EACH/ATAc nº 065/2012 - (Publicado no DOE de 11/10/2012).

Concurso para provimento de 1 (um) cargo(s) de Professor Doutor, referência MS-3, em RDIDP (Regime de Dedicação Integral à Docência e à Pesquisa), Fisiologia do Exercício Físico.
Período de inscrições: 15/10/ 2012 a 29/11/2012.
Edital de abertura EACH/ATAc nº 066/2012 - (Publicado no DOE de 11/10/2012).


Alimentação livre do consumismo crônico


As vezes é imprescindível replicar alguns post's de companheiros de olhar para o mundo!
O pessoal do grupo Infância Livre de Consumismo tem importantes contribuições para as pessoas em geral, mas principalmente, a educadores e pais, pois estes interferem na vida de um maior número de crianças.

-------------
Hoje é Dia Mundial da Alimentação, uma iniciativa anual da FAO para fomentar o debate sobre soluções para o fim da fome no mundo. O tema deste ano é “As cooperativas agrícolas alimentam o mundo”, destacando o papel das cooperativas para melhorar a segurança alimentar e contribuir para a erradicação da fome. Por isso, aproveitamos para compartilhar este texto de Tais Vinhapublicado originalmente pela Redenutri, que fala sobre publicidade e a educação alimentar de nossas crianças.
          É inocente acharmos que a educação alimentar de nossos filhos é responsabilidade apenas dos pais ou das merendeiras das escolas. Há tempos, ela vem sendo dividida com os meios de comunicação que, através de comerciais muito persuasivos, ensina-os desde a mais tenra idade a consumir produtos que trazem mais benefícios à saúde do mercado do que à saúde humana.
         Assim, assistimos impotentes nossos filhos crescerem sob o bombardeio de mensagens que pregam que refrigerante é felicidade, fast food é para se amar muito, tomar suco em pó é uma atitude que salva o planeta.
         Por mais que controlemos, por mais que optemos por uma dieta saudável, por mais que falemos “não” e desliguemos a TV, é impossível evitar que estas mensagens atinjam os pequenos e acabem fazendo parte da sua formação. Elas estão por todos os lugares e são repetidas à exaustão, como mantras da vida moderna.
         O problema é grave. Crianças são seres vulneráveis. Suas mentes, ainda em formação, não distinguem fantasia de realidade. Elas acreditam nos adultos. Acreditam no discurso publicitário. Essa vulnerabilidade não é invenção de pais superprotetores, cientistas radicais ou educadores idealistas. É estabelecida nos Artigos 226 e 227 da nossa Constituição. Que também estabelece que protegê-las é dever da família, sociedade e do Estado. Isto é, o comprometimento com o bem estar e a formação das futuras gerações de brasileiros não é só dos pais e sim de toda a nação.
         A alimentação é um dos principais elementos para este bem-estar. Hoje temos conhecimento suficiente para afirmar que grande parte das doenças pode ser evitada com uma dieta mais saudável. Doenças que afetam o desenvolvimento cognitivo, que afastam o trabalhador do serviço, que invalidam pessoas em idade produtiva e que, inevitavelmente, acabam cobrando sua fatura do setor público. Portanto, a alimentação deveria ser tratada como estratégica para a soberania nacional e defendida com a mesma intensidade com que o mercado defende seus interesses.
         Os meios de comunicação, na sua maioria concessões públicas, jamais poderiam ser usados para deseducar todo um povo. O problema se torna ainda mais grave quando, além das crianças, vemos os pais também serem atingidos por mensagens enganosas, como a da maionese industrializada que se diz tão boa como o azeite de oliva, do catchup que afirma ser como comer tomate in natura, do tempero pronto cheio de sódio e glutamato que deixa o feijão ou o arroz “igualzinhos ao da vovó″ ou do achocolatado que oferece “nutrição completa” para os filhotes chatinhos para comer.
         Os pais são os guardiões da infância. Os filtros. Quando eles são deseducados, a infância fica ainda mais desprotegida.
Há os que defendam que não cabe ao Estado intervir neste processo, pois os consumidores têm o direito de escolha. Contudo, para haver escolha, tem que haver informação. Informação clara e transparente. Não é o que temos hoje. As informações, quando chegam, são distorcidas e duvidosas. Confunde-se propositalmente os benefícios do suco em caixinha com os da fruta. Biscoito com fonte de vitaminas e sais minerais. Macarrão instantâneo com comida caseira.
         Como pais temos que lidar com temas que não fizeram parte das preocupações das gerações que nos antecederam: obesidade, doenças metabólicas, sedentarismo infantil e puberdade precoce são apenas alguns deles. Estamos confusos, frustrados e ávidos por construir novas referências que nos sirvam de guias por estes novos tempos.
         Ao cobrarmos do Governo uma atuação mais efetiva em defesa dos pequenos, regulamentando com rigidez a publicidade infantil, não queremos tutela. Queremos que o Estado cumpra seu papel em defesa do cidadão diante dos interesses de grandes conglomerados, reequilibrando as relações. E que a proteção da infância seja integral, como estipulam as leis do nosso País.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

4º SEMINÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR DE MATO GROSSO



Período de Inscrição: 24/09/2012 a 22/11/2012

A ficha de inscrição está disponível na página eletrônica da Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Mato Grosso – http://ww.ufmt.br/fef 

No lado direito da tela, no item “Novidades da FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA”, clique no link: 4º SEMINÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR DE MATO GROSSO.

Nesse link estarão disponíveis a apresentação, as normas para submissão de trabalhos, a ficha de inscrição e o folder divulgação com todas as informações do evento.

Para inscrição, acesse o link da ficha de inscrição, salve-a no computador, preencha e envie-a, juntamente com o comprovante de depósito, para o seguinte e-mail: sepefemt@uol.com.br ou por meio do fax (65) 3615-8803.

15 de Outubro - comemorar ou também lutar?

Aos professores e professoras do Brasil

Desejo a todos e a cada um(a) de vocês, força e determinação para lutar por respeito, reconhecimento e dignidade para cumprir essa função social, de auxiliar no desenvolvimento da nação brasileira, que pouco ou quase nada nos valoriza.

15 de Outubro de 2012, dia em que muitos professores decidiram quebrar o silêncio, anunciar e denunciar sobre o desrespeito, a angústia e o crime cometido contra sua profissão dia após dia!

domingo, 14 de outubro de 2012

De véspera, já há inquietação

Hoje é véspera do dia dos professores.

Fico pensando o quanto isso é simbólico e o quanto fica apenas simbólico nas mãos do Estado brasileiro. Eu gostaria que de simbólico passasse a ser praticado com respeito, melhores condições de trabalho, salário digno à exímia função social e soberana que cumprimos para a manutenção da nação brasileira.

Minha lembrança a todos, que o que comemoramos, diz respeito unicamente ao esforço que cada um de nós, professores e professoras, faz para tocar essa nação que está em franco estado de desenvolvimento e na mesma proporção, em desrespeito aos educadores de instituições públicas e privadas.

AOS PROFESSORES E PROFESSORAS DO BRASIL, FORÇA NA LUTA, A LUTA É DE TODOS OS DIAS, DIA APÓS DIA!

sábado, 13 de outubro de 2012

Professor Substituto - Fac. Educação UFG - Políticas Educacionais


Estão abertas as inscrições ao Processo Seletivo Simplificado para contratação de  professor por tempo determinado, observando-se as seguintes condições: 

ÁREA: Políticas Educacionais
- Classe: Professor Assistente (mestre)
- Vagas: 01
- Regime de trabalho: 40h
- Formação exigida: Graduação em Pedagogia e/ou áreas afins e Mestrado em Educação


DA INSCRIÇÃO:
As inscrições serão recebidas dos dias 04/10/2012 a 15/10/2012, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, na sala 115, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás, sito à Rua 235, s/nº, Setor Universitário, Goiânia, Goiás, CEP 74.605-050, telefone: (62) 3209-6202.


DA CONTRATAÇÃO
Regime jurídico: Contrato de locação de serviço, por prazo determinado, nos termos dos Artigos 1216 a 1236 do Código Civil Brasileiro de acordo com a Lei nº 8.745/93, não gerando vínculo empregatício com a UFG.
Remuneração mensal: obedecerá à tabela prevista no Anexo 1 do Edital 69/2012.5.3. 
Carga horária semanal: 40 horas 
Vigência do contrato: a partir da data da publicação da portaria de contratação no DOU até 31/03/2013, com possibilidade de prorrogação até o limite de 24 (vinte e quatro) meses.

Mais informações acesse o edital AQUI


sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Dia das Crianças e dos que já foram...

Minha homenagem às crianças é também aos que já foram assim um dia ou a pouco tempo; ou ainda àqueles que insistem e resistem em adultecer.

Dos 14 Bis originalmente para todos aqueles que conseguem encontrar infância em acordes, palavras e bolas de gude!




quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Infância livre do Consumismo


No último dia 6 de outubro, mais de 30 grupos de voluntários atenderam o chamado do Instituto Alana e realizaram feiras de troca de brinquedos por todo o país. Em cidades como Goiânia, Salvador, Brasília, Recife e Belo Horizonte, as crianças e suas famílias tiveram a oportunidade de ter uma experiência diferente, de experimentar o consumo realmente responsável, de refletir sobre o consumismo e, claro, de confraternizar com outras famílias.
Para os grupos que organizaram as feiras a experiência também foi transformadora. Os voluntários – muitos pais e mães – e os frequentadores das feiras puderam observar de perto que o trabalho que têm desenvolvido, tantas vezes desacreditado, na verdade atinge em cheio o coração das pessoas. Ficou claro que tratam de um tema que não está incomodando só a eles, mas sim a todas as famílias afetadas por nosso atual modelo de consumo.
Alguns desses voluntários compartilharam suas experiências conosco. Confira como foram as Feiras de Troca de Brinquedos em algumas cidades brasileiras:
Salvador
“Em Salvador a equipe de organização e os convidados mobilizados através de nossas redes de amigos passaram a semana tensos com o tempo. O sábado amanheceu chuvoso, mas os bem-te-vis anunciavam um belo sol que apareceria a tempo de começarmos a Feira de Troca de Brinquedos com um belo dia. Cerca de 300 famílias passearam pelo Parque da Cidade e trocaram brinquedos. Crianças de todas as idades felizes em negociar, em brincar com um novo brinquedo impregnado de boas energias e de ver outra criança dando sentido àqueles objetos que um dia tiveram grande significado, mas que, naquele momento, para eles, não tinham mais!
Teve contação de histórias com a temática do consumismo e do valor das coisas. Teve oficina de baragandão que coloriu o parque. Teve slack line para equilibrar corpinhos energizados. Teve piquenique com frutas frescas. Teve ambulante que foi chegando para garantir a água para refrescar. Teve policiamento cuidadoso. Teve jornal e rádio com profissionais curiosos sobre o ineditismo da iniciativa. Teve apoio financeiro de parceiros que acreditaram na ideia. Teve encontro de amigos que há muito não se viam. Teve adulto colocando o papo em dia debaixo da sombra das árvores. E o principal, teve criança feliz e uma pergunta constante: ‘quando teremos outra?’”. (Mariana Sá)
Goiânia
“A resposta das pessoas à proposta da feira de troca de brinquedos deixou todo o grupo de voluntárias de Goiânia agradavelmente surpreso! Mais de 130 pessoas estiveram no Parque Flamboyant, naquele belo sábado ensolarado, dispostas a trocar brinquedos, conversar com outras famílias, fazer novos amigos. O clima não poderia ser mais harmonioso!
Tivemos oficina de arte reciclagem e contação de histórias. As crianças corriam felizes pelo parque, e seus pais vinham nos falar como a ideia tinha sido boa, que precisávamos fazer mais desse tipo de programa com as crianças. É simbólico que, em uma manhã com tantas histórias boas para contar, a imagem que sempre me vem à cabeça, quando penso na feira, é a de um menino de seus 7 anos, com seu “novo” carrinho – um daqueles de pedal, já desgastado pelo uso. Este menino transbordava felicidade. Naquele momento, ficou claro como aquela experiência tinha sido inesquecível para todos que estiveram naquele parque”. (Agnes Arato)
Brasília
“A experiência vivida na 1ª Feira de Troca de Brinquedos de Brasília no Jardim Botânico foi inesquecível! Só quem esteve presente sabe do que estou falando. Foi maravilhoso ver as crianças ávidas por trocar seus brinquedos e, logo em seguida, brincar.
O clima era de uma grande festa entre amigos. Todos estavam à vontade com suas crianças, que puderam brincar ao ar livre com outras crianças, aprender um pouco sobre meio ambiente na oficina de educação ambiental, onde plantaram árvores e regaram as plantas do Jardim dos Cheiros. Brincaram com os malabares do Circo do Zé, pintaram com a artista plástica Andrea Gozzo, fizeram bolhas de sabão gigantes com dois gravetos e linha, participaram da contação de história com Juliana Maria e ouviram as histórias cantadas de Alessandra Roscoe! Além disso tudo, ainda tinha a mesa de frutas, água e suco cedida pelo Big Box e que fez a alegria de todos.
Foi muito gratificante ver que é possível fazer diferente. A adesão de tantas famílias a esta proposta demonstra que estamos carentes da liberdade do brincar!”. (Raquel Fuzaro)
Belo Horizonte
“Em Belo Horizonte, a Feira mobilizou centenas de pais animados com a nova experiência. E a principal regra era deixar as crianças negociarem sozinhas. Com exceção das crianças menores, que precisaram da ajuda dos pais e dos voluntários, a grande maioria deu conta do recado. Se na ida a uma loja as crianças costumam ganhar o que querem após uma birra ou choro, na Feira de Troca, entre os pequenos, estas estratégias não tinham vez. As crianças falavam de igual para igual e mostravam muitas habilidades, além de paciência, compreensão e respeito.
E na Feira cada brinquedo é único e especial, e traz com ele uma história já vivida: diferente da loja que tem vários do mesmo tipo, sem nenhuma marquinha de uso ou arranhão. Após três horas de muitas conversas, negociações e trocas, muitas amizades foram feitas, muitas habilidades exercitadas e teve muito aprendizado novo, de um consumo colaborativo. O que não tem tanta utilidade para uma pessoa pode ser muito interessante para outra. E com isso usamos menos matérias-primas, água, energia, e geramos menos resíduos. Os brinquedos obtidos na Feira de Troca não vieram embalados, eram apenas brinquedos, sem logomarcas, frases de efeito, caixas de papelão ou plástico e todos os apelos comerciais da publicidade dirigida à criança, que pode ser considerada abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor por fazer uso da ingenuidade delas. Na Feira foi possível experimentar os brinquedos antes de levar para casa, foi possível ver que muitos objetos usados valem como novos na imaginação de uma criança”. (Desireé Ruas)

Repúdio à Veja, sobre Eric Hobsbawm


Na última sexta-feira (5), a Associação Nacional de História (ANPUH) publicou uma nota, por meio de sua página no Facebook, na qual repudia a crítica da Veja ao historiador inglês. A nota afirma que o tratamento dado pela Veja a Hobsbawn foi desrespeitoso, irresponsável e ideológico.

Resposta à revista VEJA
Eric Hobsbawm: um dos maiores intelectuais do século XX
Na última segunda-feira, dia 1 de outubro, faleceu o historiador inglês Eric Hobsbawm. Intelectual marxista, foi responsável por vasta obra a respeito da formação do capitalismo, do nascimento da classe operária, das culturas do mundo contemporâneo, bem como das perspectivas para o pensamento de esquerda no século XXI. Hobsbawm, com uma obra dotada de rigor, criatividade e profundo conhecimento empírico dos temas que tratava, formou gerações de intelectuais. Ao lado de E. P. Thompson e Christopher Hill liderou a geração de historiadores marxistas ingleses que superaram o doutrinarismo e a ortodoxia dominantes quando do apogeu do stalinismo. Deu voz aos homens e mulheres que sequer sabiam escrever. Que sequer imaginavam que, em suas greves, motins ou mesmo festas que organizavam, estavam a fazer História. Entendeu assim, o cotidiano e as estratégias de vida daqueles milhares que viveram as agruras do desenvolvimento capitalista. Mas Hobsbawm não foi apenas um “acadêmico”, no sentido de reduzir sua ação aos limites da sala de aula ou da pesquisa documental. Fiel à tradição do “intelectual” como divulgador de opiniões, desde Émile Zola, Hobsbawm defendeu teses, assinou manifestos e escolheu um lado. Empenhou-se desta forma por um mundo que considerava mais justo, mais democrático e mais humano. Claro está que, autor de obra tão diversa, nem sempre se concordará com suas afirmações, suas teses ou perspectivas de futuro. Esse é o desiderato de todo homem formulador de ideias. Como disse Hegel, a importância de um homem deve ser medida pela importância por ele adquirida no tempo em que viveu. E não há duvidas que, eivado de contradições, Hobsbawm é um dos homens mais importantes do século XX.
Eis que, no entanto, a Revista Veja reduz o historiador à condição de “idiota moral” (cf. o texto “A imperdoável cegueira ideológica da Hobsbawm”, publicado em www.veja.abril.com.br). Trata-se de um julgamento barato e despropositado a respeito de um dos maiores intelectuais do século XX. Veja desconsidera a contradição que é inerente aos homens. E se esquece do compromisso de Hobsbawm com a democracia, inclusive quando da queda dos regimes soviéticos, de sua preocupação com a paz e com o pluralismo. A Associação Nacional de História (ANPUH-Brasil) repudia veementemente o tratamento desrespeitoso, irresponsável e, sim, ideológico, deste cada vez mais desacreditado veículo de informação. O tratamento desrespeitoso é dado logo no início do texto “historiador esquerdista”, dito de forma pejorativa e completamente destituído de conteúdo. E é assim em toda a “análise” acerca do falecido historiador. Nós, historiadores, sabemos que os homens são lembrados com suas contradições, seus erros e seus acertos. Seguramente Hobsbawm será, inclusive, criticado por muitos de nós. E defendido por outros tantos. E ainda existirão aqueles que o verão como exemplo de um tempo dotado de ambiguidades, de certezas e dúvidas que se entrelaçam. Como historiador e como cidadão do mundo. Talvez Veja, tão empobrecida em sua análise, imagine o mundo separado em coerências absolutas: o bem e o mal. E se assim for, poderá ser ela, Veja, lembrada como de fato é: medíocre, pequena e mal intencionada.
São Paulo, 05 de outubro de 2012
Diretoria da Associação Nacional de História
ANPUH-Brasil
Gestão 2011-2013
*Com informações do Vi o mundo.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A educação física e a educação infantil: aproximações

Imagens que ajudam a traduzir o lugar da Educação Física no contexto da Educação Infantil, não numa perspectiva pragmática, mas práxica.

Quais são os elementos teóricos que estão por trás dessas imagens?