segunda-feira, 1 de julho de 2013

Por uma escola diferente!

Quero aproveitar que os educadores em geral entraram de férias para convidá-los a pensar a escola sobre outros parâmetros, sobre outra lógica, sobre outra organização. Tivemos algumas tentativas de reorganização escolar no século XX e nesse século, mas que não conseguiram romper com a lógica, senão de negar o conhecimento no lugar da sociabilidade para a vida.

Manter a criança na escola por mais tempo, tem sido chamado de jornada ampliada, escola de tempo integral, mas não tenho visto ninguém publicamente, tem refletido a partir das redes de ensino sobre: EDUCAÇÃO INTEGRAL.

Educação integral é mais que educação de tempo integral ou escola de tempo integral ou mesmo educação com jornada ampliada.

Estamos falando de outra perspectiva que também se quer histórica para pensar uma organização escolar onde o conhecimento esteja dentro do processo com lugar de destaque, mas que as formas de construí-lo, refletí-lo e re-elaborá-lo passem por outros caminhos que considerem a ludicidade, a criatividade, o respeito, a dimensão do improviso criativo e de todas as potencialidades humanas que estão reunidas quando as crianças se ajuntam mediadas por uma proposta educativa que não as aprisione-as.

Pensar vale a pena.
Pensar a escola vale a pena.
Pensar como educar nossas crianças vale a pena.
Pensar a formação do cidadão para enfrentar um novo momento na história de nosso país, vale muito a pena.

Isso é tarefa de educadores e não de parlamentares!

Esse documentário "Quando sinto que ja sei" me faz pensar nessas e outras questões.