segunda-feira, 12 de agosto de 2013

esforço físico ou agressão à corporalidade humana

"Concurso em SP exige que mulheres carreguem sacos de cimento de 50 kg." Essa é a frase que titula uma matéria de uma jornal local (Goiânia-Go) a respeito da seguinte imagem:

Fico a me perguntar, qual seria a atividade laboral cuja necessidade de carregar tanto peso assim, seria condição para uma aprovação em concurso?

Acho que já evoluímos o suficiente para que em todas as situações de levantamento de pesos sejam utilizadas ferramentas ou instrumentos que funcionam como alavancas.

Levando em consideração que o edital do concurso afirma que o cargo é de ajudante geral, não há nenhuma explicação plausível ou aceitável para submeter os candidatos, homens ou mulheres a um teste de esforço físico tão esdruxulo e descabido.

Os cursos que formam professores de Educação Física abandonaram essa prática de teste físico no ingresso dos vestibulares há quase duas décadas, mas os organizadores de concursos, muitas vezes empresas privadas sem o menor senso de lógica ou de respeito ao ser humano, ainda insistem em com tais práticas abominadas.

Outro agravante é a exigência da realização de uma exercício cuja materialidade coloca em risco a saúde do candidato, na medida em que, o esforço de carregar um saco de cimento de 50 Kg, pode trazer lesões em diversas partes do corpo, entre elas, nas articulações, músculos e coluna vertebral.

Fica aqui a nossa indignação e repúdio a tais práticas em processos seletivos ou concursos.