quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Instituição Financeira e a Educação no Brasil

Não é de estranhar, o fato de que num congresso como o "Pensar", a conferência de abertura seja feita por um representante de uma instituição financeira que mais lucra no Brasil, o conglomerado ITAÚ-UNIBANCO*. Agora me digam, o que uma instituição que objetiva lucrar cada vez mais em cima do povo brasileiro, tem para falar sobre educação, sobre direito ou qualidade?

A resposta é simples: são as recomendações do BM travestidas de brasilidades - EDUCAR PARA O CONSENSO!

E outra, as principais mudanças no ensino superior brasileiro nas ultimas duas décadas foram duas de maneira mais sintética. Uma foi o sucateamento das IFES, apesar dos recursos do REUNI, e o desmantelamento da carreira docente; Outra foi o absurdo crescimento de instituições privadas, que, apesar de ser utilizado como discurso para a democratização ou universalização do acesso ao ensino superior, isso acontece a um preço muito caro à sociedade brasileira, pois uma enorme quantidade de vagas nas IES privadas são pagas com recursos de bolsas = dinheiro público enchendo o cofre de empresas de educação privadas Brasil adentro.

(Foto: Ricardo Rafael - O Popular online no facebook 02/10/13)
"Com o tema ”Direito e Qualidade na Educação”, começou na noite dessa quarta-feira (2) a 14ª edição do Projeto Pensar, no Centro de Convenções de Goiânia. Durante quatro dias professores, mestres, especialistas e pesquisadores de várias partes do Brasil realizarão conferências, minicursos palestras e mesas redondas. 
A palestra de abertura foi ministrada pelo superintendente executivo do Instituto Unibanco e professor de economia da Universidade Federa Fluminense, Ricardo Henriques, que destacou as mudanças marcantes no ensino superior brasileiro nas últimas duas décadas. Toda programação do evento tem o objetivo de abordar temas como qualidade, desafios e futuro da educação, valorização e formação do profissional, entre muitos outros. "


(*) No primeiro semestre de 2013 "O Itaú Unibanco teve lucro líquido de R$ 7,055 bilhões no primeiro semestre, uma alta de 4,83% em relação ao mesmo período do ano passado. O lucro do banco é maior do que toda a economia de 33 países."

FONTE: UOL ECONOMIA