sexta-feira, 31 de maio de 2013

Daniel Azulay: você o conhece?

Criador da Turma do Lambe-Lambe, Daniel Azulay foi precursor em 1976 apresentando durante dez anos seguidos, programas de TV educativos e inteligentes para o público infantil. Azulay influenciou de forma construtiva a geração dos anos 80 que aprendeu com ele a desenhar, construir brinquedos com a sucata doméstica, e a importância da reciclagem e sustentabilidade em defesa do meio ambiente. (Wiki)



Assista um aperitivo do que foi a contribuição de Azulay em nossa história.



terça-feira, 28 de maio de 2013

A escola de hoje, padece pelo governo de ontem

Em entrevista, Marilena Chauí descortina aspectos da história da educação no Brasil importantes de serem conhecidos. Isso é gasolina para queimar nas mentes daqueles que ainda esperam ver a escola ampliar o espectro da visão de mundo de crianças e adolescentes, jovens e adultos. 



--------------------------------------------------


"A ditadura militar destruiu a escola pública", diz pesquisadora 


Violência repressiva, privatização e a reforma universitária que fez uma educação voltada à fabricação de mão-de-obra, são, na opinião da filósofa Marilena Chauí, professora aposentada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, as cicatrizes da ditadura no ensino universitário do país.  


Foto: Gerardo Lazzari/ Sindicato dos Bancários
Marilna Chauí
"Você saía de casa para dar aula e não sabia se ia voltar, se ia ser preso, se ia ser morto. Não sabia."  

Chauí relembrou as duras passagens do período e afirma não mais acreditar na escola como espaço de formação de pensamento crítico dos cidadãos, mas sim em outras formas de agrupamento, como nos movimentos sociais, movimentos populares, ONGs e em grupos que se formam com a rede de internet e nos partidos políticos. 


Chauí, que "fechou as portas para a mídia" e diz não conceder entrevistas desde 2003, falou à Rede Brasil Atual após palestra feita no lançamento da escola 28 de de Agosto, iniciativa do Sindicato dos Bancários de São Paulo que elogiou por projetar cursos de administração que resgatem conteúdos críticos e humanistas dos quais o meio universitário contemporâneo hoje se ressente.

Rede Brasil Atual: Quais foram os efeitos do regime autoritário e seus interesses ideológicos e econômicos sobre o processo educacional do Brasil?
Marilena Chauí: Vou dividir minha resposta sobre o peso da ditadura na educação em três aspectos. Primeiro: a violência repressiva que se abateu sobre os educadores nos três níveis, fundamental, médio e superior. As perseguições, cassações, as expulsões, as prisões, as torturas, mortes, desaparecimentos e exílios. Enfim, a devastação feita no campo dos educadores. Todos os que tinham ideias de esquerda ou progressistas foram sacrificados de uma maneira extremamente violenta.

Em segundo lugar, a privatização do ensino, que culmina agora no ensino superior, começou no ensino fundamental e médio. As verbas não vinham mais para a escola pública, ela foi definhando e no seu lugar surgiram ou se desenvolveram as escolas privadas. Eu pertenço a uma geração que olhava com superioridade e desprezo para a escola particular, porque ela era para quem ia pagar e não aguentava o tranco da verdadeira escola. Durante a ditadura, houve um processo de privatização, que inverte isso e faz com que se considere que a escola particular é que tem um ensino melhor. A escola pública foi devastada, física e pedagogicamente, desconsiderada e desvalorizada.

Rede Brasil Atual: E o terceiro aspecto?
Marilena Chauí: A reforma universitária. A ditadura introduziu um programa conhecido como MEC-Usaid, pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, para a América Latina toda. Ele foi bloqueado durante o início dos anos 1960 por todos os movimentos de esquerda no continente, e depois a ditadura o implantou. Essa implantação consistiu em destruir a figura do curso com multiplicidade de disciplinas, que o estudante decidia fazer no ritmo dele, do modo que ele pudesse, segundo o critério estabelecido pela sua faculdade. Os cursos se tornaram sequenciais. Foi estabelecido o prazo mínimo para completar o curso. Houve a departamentalização, mas com a criação da figura do conselho de departamento, o que significava que um pequeno grupo de professores tinha o controle sobre a totalidade do departamento e sobre as decisões. Então você tem centralização. Foi dado ao curso superior uma característica de curso secundário, que hoje chamamos de ensino médio, que é a sequência das disciplinas e essa ideia violenta dos créditos. Além disso, eles inventaram a divisão entre matérias obrigatórias e matérias optativas. E, como não havia verba para contratação de novos professores, os professores tiveram de se multiplicar e dar vários cursos. 

Rede Brasil Atual: Houve um comprometimento da inteligência?
Marilena Chauí: Exatamente. E os professores, como eram forçados a dar essas disciplinas, e os alunos, a cursá-las, para terem o número de créditos, elas eram chamadas de “optatórias e obrigativas”, porque não havia diferença entre elas. Depois houve a falta de verbas para laboratórios e bibliotecas, a devastação do patrimônio público, por uma política que visava exclusivamente a formação rápida de mão de obra dócil para o mercado. Aí, criaram a chamada licenciatura curta, ou seja, você fazia um curso de graduação de dois anos e meio e tinha uma licenciatura para lecionar. Além disso, criaram a disciplina de educação moral e cívica, para todos os graus do ensino. Na universidade, havia professores que eram escalados para dar essa matéria, em todos os cursos, nas ciências duras, biológicas e humanas. A universidade que nós conhecemos hoje ainda é a universidade que a ditadura produziu. 

Rede Brasil Atual: Essa transformação conceitual e curricular das universidade acabou sendo, nos anos 1960, em vários países, um dos combustíveis dos acontecimentos de 1968 em todo mundo.
Marilena Chauí: Foi, no mundo inteiro. Esse é o momento também em que há uma ampliação muito grande da rede privada de universidades, porque o apoio ideológico para a ditadura era dado pela classe média. Ela, do ponto de vista econômico, não produz capital, e do ponto de vista política, não tem poder. Seu poder é ideológico. Então, a sustentação que ela deu fez com que o governo considerasse que precisava recompensá-la e mantê-la como apoiadora, e a recompensa foi garantir o diploma universitário para a classe média. Há esse barateamento do curso superior, para garantir o aumento do número de alunos da classe média para a obtenção do diploma. É a hora em que são introduzidas as empresas do vestibular, o vestibular unificado, que é um escândalo, e no qual surge a diferenciação entre a licenciatura e o bacharelato. 

Foi uma coisa dramática, lutamos o que pudemos, fizemos a resistência máxima que era possível fazer, sob a censura e sob o terror do Estado, com o risco que se corria, porque nós éramos vigiados o tempo inteiro. Os jovens hoje não têm ideia do que era o terror que se abatia sobre nós. Você saía de casa para dar aula e não sabia se ia voltar, não sabia se ia ser preso, se ia ser morto, não sabia o que ia acontecer, nem você, nem os alunos, nem os outros colegas. Havia policiais dentro das salas de aula.

Rede Brasil Atual: Houve uma corrente muito forte na década de 60, composta por professores como Aziz Ab'Saber, Florestan Fernandes, Antonio Candido, Maria Vitória Benevides, a senhora, entre outros, que queria uma universidade mais integrada às demandas da comunidade. A senhor tem esperança de que isso volte a acontecer um dia?
Marilena Chauí: Foi simbólica a mudança da faculdade para o “pastus”, não é campus universitário, porque, naquela época, era longe de tudo: você ficava em um isolamento completo. A ideia era colocar a universidade fora da cidade e sem contato com ela. Fizeram isso em muitos lugares. Mas essa sua pergunta é muito complicada, porque tem de levar em consideração o que o neoliberalismo fez: a ideia de que a escola é uma formação rápida para a competição no mercado de trabalho. Então fazer uma universidade comprometida com o que se passa na realidade social e política se tornou uma tarefa muito árdua e difícil. 

Rede Brasil Atual: Não há tempo para um conceito humanista de formação?
Marilena Chauí: É uma luta isolada de alguns, de estudantes e professores, mas não a tendência da universidade. 

Rede Brasil Atual: Hoje, a esperança da formação do cidadão crítico está mais para as possibilidades de ajustes curriculares no ensino fundamental e médio? Ou até nesses níveis a educação formal estará comprometida com a produção de cabeças e mãos para o mercado?
Marilena Chauí: Na escola, isso, a formação do cidadão crítico, não vai acontecer. Você pode ter essa expectativa em outras formas de agrupamento, nos movimentos sociais, nos movimentos populares, nas ONGs, nos grupos que se formam com a rede de internet e nos partidos políticos. Na escola, em cima e em baixo, não. Você tem bolsões, mas não como uma tendência da escola. 

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Autoridade Pedagógica em tempos de Tecnocracia Educacional

Autoridade necessária

Para José Sérgio de Carvalho, os educadores precisam assumir a posição de liderança; não de forma coercitiva, mas por meio de uma relação de confiança
Thiago Minami

“Educação não é ciência, é política. Devemos recusar o estabelecimento de regras prontas sobre o ato de ensinar almejadas pelos tecnocratas e os sistemas de apostilas”
Muitos pedagogos defendem a realização de assembleias nas escolas para a definição democrática de direitos e deveres da comunidade escolar. Para o filósofo da educação José Sérgio Fonseca de Carvalho, da Faculdade de Educação da USP, essa ideia quase consensual trata-se de um equívoco. “Assembleias são práticas pedagógicas para que os alunos conheçam o conceito de Ágora, a praça pública para discussões políticas”, afirma. Durante sua palestra na Educar 2013, ele expôs que instituir a autonomia no ambiente escolar, por si só, implica uma decisão de cima para baixo tomada pelos adultos. Na opinião de Carvalho, “para a educação, a democracia é o ponto de chegada, não de partida”.
O pesquisador recorre ao conceito de educação defendido pela pensadora Hannah Arendt, a partir do qual educar é amar o mundo ao ponto de assumir a responsabilidade sobre ele e salvá-lo da ruína pelo repasse do que já foi compreendido pelas sociedades anteriores. Com isso, o aluno torna-se autônomo para quebrar com o passado e inovar – é o que ela chama de “milagre”, ou seja, o ato de romper com o curso natural das coisas.
“Podemos pensar assim que a eleição de Obama, em vista do passado de repressão e exclusão dos negros nos Estados Unidos, é um milagre. Nada tem a ver com o sobrenatural”, explica Carvalho. Para chegar ao atual presidente americano, no entanto, foi necessário aos políticos e eleitores entender como funciona o sistema político do país e jogar com o pré-estabelecido.
Autonomia desde cedo?
Daniela Alves Soares, analista educacional da rede Sesi de São Paulo, discorda. Para ela, é preciso trabalhar a autonomia das crianças desde cedo para que elas se tornem aptas a ser cidadãs livres no futuro. Carvalho rebate com a ideia de que a escola não deve buscar ser democrática e, sim, preparar os alunos para a democracia. Portanto, precisa se tornar um espaço para a pluralidade de visões.
“Pergunte a alguém: ‘o que você acha da cozinha vietnamita?’. A pessoa precisa experimentar os pratos para responder”, explica o professor. Ou seja, a escola tem a função de instruir os alunos para que exerçam seu direito de escolha no futuro. Assim, tornam-se cidadãos políticos, capazes de expressar suas posições pela palavra, sem recorrer à violência.
“Imagine que os alunos, em assembleia, decidam que a escola não deve aceitar negros. Como educadores, vocês não iriam interferir?”, questiona Carvalho.
A autoridade na escola, diz ele, é necessária. Não como relação de coerção, mas de confiança. Os educadores, na posição de líderes, têm que assumir posições e tomar decisões. E encerra com uma provocação: “educação não é ciência, é política. Devemos recusar o estabelecimento de regras prontas sobre o ato de ensinar almejadas pelos tecnocratas e os sistemas de apostilas”.

domingo, 26 de maio de 2013

Antropología de las Infancias y Adolescencias - Rosario - CHILE

FACULTAD DE HUMANIDADES Y ARTES

DEPARTAMENTO de ANTROPOLOGÍA SOCIO-CULTURAL

XII JORNADAS ROSARINAS DE ANTROPOLOGÍA SOCIO-CULTURAL

Antropología Socio-cultural hoy. Problemas sociales y campo disciplinar:
tensiones y desafíos

24 y 25 de octubre de 2013 - Rosario

2º CIRCULAR
-Fundamentación-
-Espacios de Trabajo-
-Pautas de Presentación Resúmenes y Ponencias-


ET14 - Antropología de las Infancias y Adolescencias

Nos interesa recibir trabajos en los cuales se reflejen problemáticas diversas emergentes de la misma diversidad socio cultural que es trama y fondo a estas etapas etarias. Reconociendo en ellas diferentes formas del vivir las infancia/s y adolescencia/s determinadas por los contextos socio político económico que llevan a situaciones de profundas asimetrías. Agudizando la mirada antropológica y el enfoque de los DD.HH sobre cuestiones como: quien es niñ@ y adolescente hoy; cómo es ser adolescente desde una perspectiva émica; los espacios consagrados y los nuevos; lo lúdico, el placer; la participación social; política; las técnicas de recolección de datos, etc. En ejes temáticos que nos permitan reflexionar críticamente en conjunto, sobre las condiciones apropiadas para “el mundo de las infancias y adolescencias”. Los trabajos pueden ser comunicaciones y o ponencias.


Coordinación:

Dra. Eugenia María Ruiz Bry - ylut@eldigital.com.ar
Mag.Dr. Univ. deChile Rodrigo Sepúlveda - rfsepulveda@gmail.com
Lic. María de los Ángeles Nuñez - mariamarcone2011@gmail.com
Lic. Sumalla, Andrea UNR - andreasumalla@gmail.com
Peña Barriga, Gonzalo Univ. de Chile - cadeeet@gmail.com

Merayo, Norman UNR - norman_3512@hotmail.com


Mais informações através dos emails dos coordenadores acima mencionados

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Seleção de tutores presenciais para o curso de Educação Física a distância - UnB UAB

Seleção de tutores presenciais para o curso de Educação Física - Edital N° 02/2013

A UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA/UnB, em parceria com os estados e municípios participantes do Programa Universidade Aberta do Brasil/UAB, instituído pelo Ministério da Educação/MEC, torna pública a seleção de tutores presenciais para o complemento de vagas para curso de Educação Física, que será regida pelo presente edital.

Inscrições 20/05/2013 às 00:00 até 26/05/2013 às 23:59

Cargo: tutor de Educação Física para o polo de apoio presencial:
Buritis/MG 
Duas Estradas/PB 
Boa Vista/RR 
Barra do Bugres/MT 
Primavera do Leste/MT.

- Descrição das Atividades: apoiar os estudantes do curso de graduação de Licenciatura em Educação Física modalidade a distância. 
- Regime de Trabalho: 20 horas semanais. 
- Requisitos Básicos: disponibilidade para cumprir no polo a carga horária semanal; conhecimento para acessar o ambiente virtual de aprendizagem; capacidade de interação com estudantes, com tutores a distância e com professores; comunicação frequente com os alunos para orientá-los quanto às necessidades pedagógicas  e quanto às atividades do polo; comunicação com a coordenação do polo, com o coordenador do curso, com a tutoria e com a 
secretaria acadêmica.

ACESSE AO EDITAL E FICHA DE INSCRIÇÃO ON-LINE AQUI

Vestibular UnB/EaD/UAB - Licenciatura a Distância

BOLETIM INFORMATIVO UnB/EaD/UAB - Universidade Aberta do Brasil

Informamos que a Universidade de Brasília (UnB) divulgou, nesta quarta-feira (22/5), edital de vestibular destinado ao ingresso em cursos de licenciatura a distância, pelo Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). São 1.410 vagas distribuídas em oito áreas: Artes Visuais, Educação Física, Geografia, Letras Português, Música, Pedagogia, Biologia e Teatro. Deste total, 116 são para o Sistema de Cotas para Escolas Públicas.

Caso queira obter mais detalhes acesse o link abaixo:


Coordenação de Ensino de Graduação a Distância
Decanato de Ensino de Graduação (DEG)
Universidade de Brasília.

II Congresso Infâncias e Brinquedos de Ontem e Hoje

Será realizado no período de 04 a 07 de novembro de 2013, o II Congresso Infâncias e brinquedos de ontem e hoje e 


Mais informações no Site do Evento


Realização: CABE e GEPEMC - Universidade Federal Fluminense - UFF
Local: Faculdade de Educação da UFF - Campus do Gragoatá
Rua Visconde do Rio Branco 882, bloco D, sala 211
São Domingos - Niterói CEP 24.020-200

Inscrições sem apresentação de trabalhos 10/05/2013 A 04/11/2013

Inscrições para submissão de trabalhos completos 10/05/2013 A 10/08/2013

Divulgação dos resultados 21/09/2013

quinta-feira, 23 de maio de 2013

CONCURSO MAGISTÉRIO - EBTT - COLÉGIO PEDRO II - RJ

Para quem estiver morando ou de mudança para o Rio de Janeiro ou redondezas, uma ótima oportunidade de construção da carreira docente. Vale ver as áreas e as vagas abaixo.

Lembrando que as inscrições iniciam-se nesse momento as 10:00 (quinta feira, 23) e vai até as 16:00 do dia 05 de Junho.
----------------------------------------

A REITORA PRO TEMPORE DO COLÉGIO PEDRO II, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista autorização concedida pela Portaria Interministerial nº 25, de 5 de fevereiro de 2013, publicada no Diário Oficial da União de 6 de fevereiro de 2013, e pela Portaria no 245, de 25 de março de 2013, publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2013, torna pública a abertura das inscrições e estabelece normas para a realização de Concurso Público de Provas e Títulos, destinado a selecionar candidatos com vistas ao provimento de cargos vagos da Carreira de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Quadro Permanente do Colégio Pedro II - RJ, na forma do que dispõe a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990 e suas alterações, a Lei no 9.784, de 29 de janeiro de 1999, o Decreto no 6.944, de 21 de agosto de 2009, a Portaria no 243, de 3 de março de 2011, e a Lei no 12.772, de 28 de dezembro de 2012.

PARA ACESSAR O EDITAL CLIQUE AQUI

4. Das Inscrições
4.1 A inscrição para o Concurso Público deverá ser efetuada no período compreendido entre as 10 horas do dia 23 de maio de 2013 e 16 horas do dia 5 de junho de 2013, considerando-se o horário de Brasília/ DF, exclusivamente pela internet, no endereço eletrônico do Colégio Pedro II 


Áreas e vagas:

Vagas Taxa
1º SEGMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL
23
R$ 100.00
ARTES VISUAIS
6
R$ 100.00
BIOLOGIA
10
R$ 100.00
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
3
R$ 100.00
DESENHO
4
R$ 100.00
EDUCAÇÃO FÍSICA
7
R$ 100.00
EDUCAÇÃO INFANTIL
9
R$ 100.00
EDUCAÇÃO MUSICAL
7
R$ 100.00
FILOSOFIA
6
R$ 100.00
FÍSICA
4
R$ 100.00
FRANCÊS
6
R$ 100.00
GEOGRAFIA
10
R$ 100.00
HISTÓRIA
9
R$ 100.00
INFORMÁTICA EDUCATIVA
3
R$ 100.00
INGLÊS
6
R$ 100.00
MATEMÁTICA
10
R$ 100.00
PORTUGUÊS
16
R$ 100.00
QUÍMICA
3
R$ 100.00
SOCIOLOGIA
9
R$ 100.00         

I Salão Nacional de Pós-Graduação da UFG

Mais informações e inscrições acesse o link

quarta-feira, 22 de maio de 2013

VII Congresso Latino Americano de Estudos do Trabalho








Acontece entre 02 a 05 de julho de 2013 na Cidade Universitária do Butantã da Universidade de São Paulo.

Mais informações sobre o congresso, acesse o site do evento AQUI

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Série Músicas - Henning Vauth 23 de Maio 20:30



O Centro Cultural UFG apresenta, na abertura da "Série MÚSICAS" , o recital do pianista alemão HENNING VAUTH, no dia 23 de maio de 2013, as 20:30, com Entrada Gratuita.

SÉRIE MÚSICAS - Henning Vauth
Local: Centro Cultural UFG - PRAÇA UNIVERSITÁRIA

PROGRAMA:
Sonata in C major, K. 330 - Wolfgang A. Mozart (1756–1791)
Allegro moderato
Andante cantabile
Allegretto

Impromptus, D. 935 - Franz Schubert (1797-1828)
Andante
Allegro scherzando

Arabeske, Op. 18 - Robert Schumann (1810-1856)

Klavierstücke, Op. 118 - Johannes Brahms (1833-1897)
I Intermezzo
II Intermezzo
IV Intermezzo

IV Simpósio de Pesquisa Estado e Poder - 20 a 22 de agosto de 2013

Informações sobre o evento e inscrições acesse o SITE

Período de Inscrições de trabalhos: 03/06  a 02/08 de 2013.

domingo, 19 de maio de 2013

TV UFG Apresenta: Faz o quê?

Para os estudantes de Ensino Médio que tem dúvidas sobre as profissões, a TV UFG tem um programa bem bacana chamado: Faz o quê?


Clique AQUI e acompanhe as diversas profissões em entrevistas muito interessantes.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

A educação do corpo na sociedade do capital - Tadeu João Ribeiro Baptista

Para mim é um grande prazer e alegria divulgar a produção de um amigo. O prof. Tadeu Baptista merece reconhecimento e distinção por seu empenho, esforço e dedicação para contribuir e qualificar o debate da educação física no viés sobre as concepções de corpo nessa sociedade tal qual conhecemos.

Parabéns Tadeu!


O corpo é a expressão material/espiritual do ser humano e, por isso, está subordinado à organização material da existência. Em outras palavras, isso significa considerar o trabalho como o elemento constitutivo do corpo em toda a história. Compreender a maneira como o trabalho organiza a nossa existência corporal, considerando ainda as características particulares dos processos de alienação, fetiche e reificação é o foco central desta obra. Assim, a partir da perspectiva do materialismo dialético, este texto procura compreender, sobretudo, como o processo de trabalho capitalista em suas leis mais gerais e a indústria cultural como um dos postos avançados na disseminação de um modelo de corpo considerado saudável e belo, contribuem para o processo de Educação do Corpo na sociedade Capitalista.
Partindo predominantemente de autores de base dialética materialista como Marx, Lukács e Adorno, pretendemos entender o processo de determinação das relações sociais que entendem o corpo da consciência e a consciência do corpo como lócus de intervenção do modelo de produção vigente.

Informações sobre a obra e aquisição clique AQUI

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Seminario Nacional de Animación Recreativa - Bolívia

Evento: SEMINARIO NACIONAL DE ANIMACIÓN RECREATIVA
Fecha: 27, 28 y 29 de JUNIO
Lugar: Auditorio FUNDACOFAM LBN, Calle 48 con Carrera 21, Barquisimeto.

Ponentes: Hasta la fecha han confirmado su participación los siguientes conferencistas: Lupe Aguilar (México), Agustín Zamora (México), Gloria Gamboa (Colombia), Rubén Duran  (VEFORTU), Eddy Cabrera (LUZ - FIEP), Gladys Guerrero (UPEL IPMar), José Luis Reyes (MPPComunas), Seira Berisario (Fundabric), Antonio Gutiérrez (ITRE - ULAC), Alixon Reyes (UPEL-IPMat), Luis García (UNEXPO), Grisell Bolívar (UPEL IPMar), Henry  Zambrano (UPEL IPB), Raquel Calderón (UPEL) y  Eloy Altuve (LUZ).
Talleristas: Hasta la fecha han confirmado su participación los siguientes talleristas: Tomás García (Riee), Brígida Pérez (UPTAEB), Lucy Pérez (UPEL-IPB), Roland Chirinos (RECREART), Anthonny Bracho (UPEL IMPM), Javier Silguero (UPEL IPREM), Carlos Urbina (Barquisimeto), Oscar Hernández (UPEL IPB), Yoselin Paradas (UPEL IPB), Gustavo Silva (UPEL IPB), Gregory Patiño (UPEL IPREM), Jetsaret González (Caracas),Gustavo García (Aventurismo) y Luís Carrillo (Caracas), Wladimir Piña (Barquisimeto).
Rondas y canciones: La Comisión Académica tiene previsto los días 27 y 28 de junio en horario de 1:00 a 2:00 PM, el desarrollo de jornadas o espacios donde expertos animadores compartirán rondas y canciones con las personas interesadas en actualizar y ampliar su repertorio.
Inversión: Las personas interesadas en participar deben rrealizar deposito o transferencia bancaria a la Cuenta Corriente N° 0108 2405 27 0100112246 en el Banco Provincial, a nombre de INTERUNIVERSITA, Rif: J-317537084, email: interuniversita@hotmail.com. El monto a depositar dependerá del día que hará efectivo dicho depósito.
TIPO PARTICIPANTE
HASTA 12 DE MAYO
DEL 13 DE MAYO AL 16 DE JUNIO
DEL 17 AL 27 DE JUNIO
Estudiantes Pregrado
150,oo
200,oo
250,oo
Público en General
300,oo
350,oo
400,oo
Para formalización de inscripción debe enviar planilla con datos requeridos una vez realizado el depósito al email: animadoresrecreativos@gmail.com. Cada asistente recibirá un certificado de participación emitido por el Vicerrectorado de Investigación y Postgrado de la UPEL. Los estudiantes deben presentar documento probatorio de dicha condición al momento de acreditarse.
Talleres: Se ofrecerán alrededor de 15 talleres, de los cuales cada participante seleccionará uno de su agradado e interés. Dichos talleres se realizaran el día viernes 28 en horario comprendido de 2:00 a 6:00 PM, en las instalaciones de la UPEL-IPB, IUJO y UPTAEB.
Hospedaje: Las delegaciones que asistirán al evento a través de un coordinador o responsables pueden gestionar su hospedaje y alimentación (desayuno y cena) en la Villa Bolivariana, Avenida Libertador diagonal a la redoma el Obelisco, al teléfono 02514419890, contactar a Milangela Barbati. Los costos aproximados por persona son de 37 BsF en apartamentos de cinco literas, sin lencería.
Alimentación: El Comité Organizador ofrecerá servicio de almuerzos en las instalaciones de FUNDACOFAM a un costo entre 50 a 60 BsF en envases desechables. Los interesados deben solicitar con antelación el tipo de comida según menú ofertado.
Información: Para mayor información pueden comunicarse con el Prof Enrique Reyes, Coordinador General del Seminario al celular: 04145728148 o al email: animadoresrecreativos@gmail.com.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Minicurso - Introdução a Culturas Indígenas Brasileiras - Brasília-DF


V Seminário Internacional – Teoria política do Socialismo

“MARX: CRISE DO CAPITALISMO E TRANSIÇÃO”

Data: de 12 a 16 de agosto de 2013.
Local: Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Filosofia e Ciências/ Marília.

Os Resumos expandidos e os Trabalhos Completos serão publicados nos Anais do evento, sendo a Data Limite para envio 31/05/2013.

Mais informações e inscrição de trabalhos acesse o SITE DO EVENTO

Estado e Diversidade Cultural - Evento na UFPel

Este evento é promovido pelo Mestrado em Antropologia, sobre Políticas de Reconhecimento e Reparatórias. UFPel

terça-feira, 14 de maio de 2013

2º Seminário do Desporto Escolar
















Galhofada em Goiânia


Galhofada é uma Pequena Mostra de Teatro na Rua organizada por artistas e produtores culturais de Goiânia e cidades vizinhas. Um trabalho sem fins lucrativos, que une a Arte ao fazer social, que toma forma por meio da realização de apresentações gratuitas de peças teatrais ao ar livre. As apresentações desta edição ocorrem na Ilha da Galhofa (Al. Henrique Silva com a Rua 1.014, Setor Pedro Ludovico) e no Teatro Zabriskie (Al. Antônio Martins Borges, Qd. 89, Lt. 26, Setor Pedro Ludovico). Mais informações: (62) 3241-8447/ 9263-0562.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

O abolir da ignorância e da inércia

13 de Maio - Abolição da Escravatura

Libertar os mais jovens da ignorância e da inércia na vida!

A produção foi feita por alunos do ensino médio de uma escola em Maceió-AL. 

É bacana ver o que nossa juventude pode fazer, pensar e se expressar quando são orientados e conseguem articular o conhecimento, a tecnologia e os temas da vida cotidiana. Parabéns Giovanna Albernaz e a toda equipe produtora do vídeo e ao professor da disciplina.

"Vai pensando aí..."



sexta-feira, 10 de maio de 2013

Seleção de Professor Substituto FEF/UFG - 02 VAGAS



PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR SUBSTITUTO

Abertas as inscrições do processo seletivo para contratação de professor por tempo determinado. (02 VAGAS)
Período de Inscrição até 13/05/2013.


ÁREAS:
  • Ensino de Dança com ênfase em Balé - 40h
  • Fundamentos Sócio- Históricos e Pedagógicos da Educação Física e Mundo do Trabalho - 40h



Edital AQUI

Normas Complementares

Lista de pontos para sorteio para prova didática (Dança com ênfase em Balé)

Ficha de Inscrição



II Encontro do CEBES Goiás


II Encontro do CEBES de Goiás- Saúde, Participação e Construção do SUS
Data: 07/06/2013
Local:Auditório da Faculdade de Direito, Praça Universitária.
Horário: 7:30 às 17:30

Inscrições: http://migre.me/efLti

Conferencista: Prof. Nelson Rodrigues Santos (Nelsão). Professor Colaborador da Universidade Estadual de Campinas, Presidente do Instituto de Direito Sanitário Aplicado (IDISA),  Membro do Conselho Consultivo do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde .

Objetivo: Qualificar os integrantes dos Conselhos de Saúde, movimentos sociais e população em geral no sentido de fortalecer a participação social no processo de construção do SUS.

Público Alvo: Conselheiros de Saúde (local, municipal, estadual), Participantes de Movimentos Sociais e Sindicatos, Usuários do SUS, Acadêmicos, Professores, Profissionais de Saúde e de outras categorias
 
 
Informações:
Telefone:  8442 0354 ou 35211469
Facebook - cebesgo@gmail.com
Inscrições em: http://migre.me/efLti